Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

baú das alembranças

baú das alembranças

A EQUIDADE

CARPINTEIRO.png

militares.png

varredor.png

 

IGUALDADE SOCIAL ENTRE TRABALHADORES DO SERVIÇO PÚBLICO, DO PRIVADO E TRABALHADORES POR CONTA PRÓPRIA?
UMA PORRA!...
Há por aí um grande engano.
Onde se diz que tem de ter uma carreira contributiva de 40 anos para se reformar aos 65 deve corrigir para carreira contributiva de 45 anos.
No sector privado, quem se quiser reformar tem de contribuir com 45 anos de descontos para a Segurança Social.
Um amigo e colega meu teve um enfarte do miocárdio e o médico aconselhou-o a pedir a reforma.
Tinha 43 anos de descontos foi penalizado com 13%. 6,5% por cada ano em falta.
A equidade entre público e o privado é complicada.
Todos os meus amigos e conhecidos do sector público reformaram-se com 30 anos de contribuição e 55 anos de idade, os do sector privado reformaram-se com 45 anos de contribuição e 65 anos de idade.
Conheço até casos de militares que iniciaram a atividade aos 17 anos, cumpriram 25 anos e aos 42 passaram à reserva com o tempo todo cumprido e reforma por inteiro.
A equidade entre o público e o privado é complicada.
Todos os meus amigos do sector público que precisam de próteses ou tratamentos quer para a boca, quer para olhos para eles ou familiares tem tudo comparticipado a cem por cent. Os do sector privado tem de pagar tudo do seu bolso.
A equidade entre o público e o privado é complicada.
Os trabalhadores do sector público tem um horário de trabalho de 36 semanais, os trabalhadores do sector privado tem um horário semanal de 40 horas de trabalho.
A equidade entre o público e o privado é complicada.
Isto diz respeito às forças militares e militarizadas, diz respeito ao pessoal de secretaria, diz respeito às empresas do estado, GALP, CP, REFER, TAP,ANA, PT,CTT, PORTOS, AEROPORTOS, Hospitais, Centros de Saúde,Universidades, Escolas, etc,etc. Um encarregado numa obra ou numa fábrica com 200 ou 300 trabalhadores sob as suas ordens ganha uns 1.100 euros se tanto. Um chefe de secção ganha aí uns 2.800 euros. Equidade uma porra!...

Manifestações em França em 2018



Quando vires numa manifestação um grande número de bandeiras nacionais acredita que são mais os nacionalismos a vir ao de cima do que reivindicações por melhor qualidade de vida e nacionalismos igual a direita e extrema direita reacionária fascistoide e revanchista.



Quem pensa que as manifestações em França não são empurradas pela direita ressabiada anda a dormir ou é completamente ingénuo.



Só a direita é que tem interesse na desestabilização e no caos para depois aparecerem os messias demagogos como salvadores da situação.



São normalmente situações destas que dão aso a aparecerem atores teatreiros como Moussoulini, Hitler, Franco Salazar e companhia



Eu bem os conheço cá e o modos operandi é exatamente igual.



Aliás. Só a direita e extrema direita é que estão a apoiar abertamente a destruição e o vandalismo que se pratica nestas manifestações.



Resolveram descarregar todas as fustrações em cima de Macron por que calhou.



Se não fosse Macron era outro.



Esteve quase para ser em cima de Hollande mas escapou.



Era preciso era que a extrema direita reacionária e fascistoide mostrasse estar ativa e está.



Será que os franceses são tão estúpidos que não percebem que ao estar a destruir o país estão a destruir o que é seu?



Então não percebem que os prejuizos causado pela destruição tem de ser pagos depois à custa dos impostos que eles agora reclamam que são exagerados.



Será que não percebem que se agora os impostos são exagerados depois ainda tem de ser mais para ir buscar dinheiro para pagar a indemnizações provocadas pela destruiçao e vandalismo?


GREVISTAS

A GREVE DAS POLICIAS MUNICIPAIS
Quem e que ainda não fez greve ou foi para a rua manifestar-se?
São Sapadores Bombeiros, Enfermeiros, Juizes, Policias Municipais, Estivadores etc, etc.
Quem é que é tão bom a manipular estas classes que se encontram tão bem consertadas a fazer reivindicaçãoes das quais nem sabiam que era possivel?
Isto quer dizer que é muito melhor bater em pedra mole? Não é?
Nos tempos em que era levar porrada a torto e direito quer nos orçamentos, quer nas regalias ninguém se manifestava, ninguém reivindicava.
Até parecia que se vivia no melhor dos mundos.
Mas não. Agora, é que descobriram que estão a ser prejudicados.
Agora é que estão a descobrir que é fácil reivindicar,até os Policias Municipais descobriram que existem e que não são uns simplórios que foram contratados pelas autarquias para arranjar uns empregos para os amigos e filhos dos amigos.
Já querem estatuto, já querem contratos e mais não sei o quê. Querem estatuto? A seguir querem o quê? Querem andar armados, querem fardas e mais o quê?
Há vinte anos que apareceram, nunca se lembraram de que não são mais do que funcionários autárquicos ao nivel dos varredores, jardineiros ou coveiros mas esses exercem uma profissão que merece respeito.
Policia Municipal nem profissão é. É um emprego que era para ser temporário à falta de melhor.

Policia Municipal.jpg

 

Berardo e Companhia

Ele não tem a culpa sozinho.
Ele serviu-se de um sistema próprio que facilita a vida a quem tem muito.
Ele chegou a Portugal e toda a gente lhe caiu aos pés.
Foram as televisões, foi a banca, foi o poder politico, foi a conjuntura, foi tudo.
Depois até os maiores amigos eram agiotas já com provas dadas e foi só ver onde é que era bom deitar a mão. ...
Foi ao banco dos amigos até o deixar a tenir.
Como os bancos BANIF do amigo Horácio Roque e BCP do amigo Jardim Gonçalves secaram, tratou de se virar para a banca nacional CGD que também foi enrolada no grupo.
Aí foi sacar quanto quis para comprar tudo quanto quis.
Quintas das quais se destacam a Quinta do Bolido, no Bombarral, a Quinta da Bacalhoa em Azeitão Quinta de Santo António na Madeira, Museus e tudo o que lhe apeteceu.
O dinheiro não era problema, não era dele, podia comprar tudo o que lhe apetecesse.
E comprou...
Agora, quem paga?
É o Zé.
O Zé é que paga sempre tudo.
E o Estado?
O Estado fica a ver navios no Alto de Santa Catarina.
Que é como quem diz.
Fica a ver Braga por um canudo. Pode lançar uma hipoteca sobre o património do indivíduo em questão mas aí é que bate o ponto.
O património foi comprado por um valor muito superior ao valor real, muito mais do que ele vale e o estado agora só lhe restam uns miseráveis restos para lançar a a mão.
E nós?
A nós?
Resta-no deitar sa mãos à cabeça e arranhar-mos até arrancar os cabelos a pensar na maneira triste e despropositada como este país tem sido governado por mafiosos, agiotas, burlões e ladrões há trinta anos para cá.

Ver Mais

As Mulheres e a casa de banho

muleres no WC.jpg

 

AS MULHERES E AS CASAS DE BANHO !

O grande segredo de todas as mulheres a respeito da casa de banho é que, quando eras pequenina, a tua mamã levava-te à casa d...e banho, ensinava-te a limpar o tampo da sanita com papel higiénico e depois punha tiras de papel cuidadosamente no perímetro da sanita. Depois instruía-te: "nunca, nunca te sentes numa casa de banho pública" e finalmente ensinava-te a "posição", que consiste em balançares-te sobre a sanita numa posição de sentares-te sem que o teu corpo tenha contacto com o tampo.

"A Posição" é uma das primeiras lições de vida de uma menina, importante e necessária, que nos acompanha para o resto da vida. Mas ainda hoje, nos nossos anos de maioridade, "a posição" é dolorosamente difícil de manter, sobretudo quando a tua bexiga está quase a rebentar.

Quando “TENS” de ir a uma casa de banho pública, encontras uma fila enorme de mulheres que até parece que o Brad Pitt está lá dentro. Por isso, resignas-te a esperar, sorrindo amavelmente para as outras mulheres que também cruzam as pernas e os braços, discretamente, na posição oficial de “tou aqui tou-me a mijar!”.

Finalmente é a tua vez ! E chega a típica mãe com a menina que não aguenta mais ("a minha filhota já não aguenta mais, desculpe, vou passar à frente"). Então verificas por baixo de cada cubículo para ver se não há pernas. Estão todos ocupados.

Finalmente, abre-se um e lanças-te lá para dentro, quase derrubando a pessoa que ainda está a sair.
Entras e vês que a fechadura está estragada (está sempre!); não importa…
Penduras a mala no gancho que há na porta… QUAAAAAL? Nunca há gancho ! Inspeccionas a zona, o chão está cheio de líquidos indefinidos e fétidos, e não te atreves a pousá-la lá, por isso penduras a mala no pescoço enquanto vês como balança debaixo de ti, sem contar que a alça te desarticula o pescoço, porque a mala está cheia de coisinhas que foste metendo lá para dentro, durante 5 meses seguidos, e a maioria das quais não usas, mas que tens no caso de…

Mas, voltando à porta… como não tinha fechadura, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto com a outra baixas as calças num instante e pões-te “na posição”…

AAAAHHHHHH… finalmente, que alívio… mas é aí que as tuas coxas começam a tremer… porque nisto tudo já estás suspensa no ar há dois minutos, com as pernas flexionadas, as cuecas a cortarem-te a circulação das coxas, um braço estendido a fazer força na porta e uma mala de 12 quilos a cortar-te o pescoço !

Gostarias de te sentar, mas não tiveste tempo para limpar a sanita nem a limpaste com papel; interiormente achas que não iria acontecer nada, mas a voz da tua mãe faz eco na tua cabeça *“nunca te sentes numa sanita pública”, e então ficas na “posição de aguiazinha”, com as pernas a tremer… e por uma falha no cálculo de distâncias, um finííííssimo fio do jacto salpica-te e molha-te até às meias ! Com sorte não molhas os sapatos… é que adoptar “a posição” requer uma grande concentração e perícia.

Para distanciar a tua mente dessa desgraça, procuras o rolo de papel higiénico, maaaaaaaaaaas não hááááá ! O suporte está vazio !
Então rezas aos céus para que, entre os 12 quilos de bugigangas que tens na mala, pendurada ao pescoço, haja um miserável lenço de papel… mas para procurar na tua mala tens de soltar a porta…???? Duvidas um momento, mas não tens outro remédio. E quando soltas a porta, alguém a empurra, dá-te uma trolitada na cabeça que te deixa meio desorientada mas rapidamente tens de travá-la com um movimento rápido e brusco enquanto gritas: OCUPAAAAAADOOOOOOOOO !

E assim toda a gente que está à espera ouve a tua mensagem e já podes soltar a porta sem medo, ninguém vai tentar abri-la de novo (nisso as mulheres têm muito respeito umas pelas outras).
Encontras o lenço de papel ! Está todo enrugado, tipo um rolinho, mas não importa, fazes tudo para esticá-lo; finalmente consegues e limpas-te. Mas o lenço está tão velho e usado que já não absorve e molhas a mão toda; ou seja, valeu-te de muito o esforço de desenrugar o maldito lenço só com uma mão.
Ouves algures a voz de outra velha nas mesmas circunstâncias que tu “alguém tem um pedacinho de papel a mais ?” Parva ! Idiota !

Sem contar com o galo da marrada da porta, o linchamento da alça da mala, o suor que te corre pela testa, a mão a escorrer, a lembrança da tua mãe que estaria envergonhadíssima se te visse assim… porque ela nunca tocou numa sanita pública, porque, francamente, tu não sabes que doenças podes apanhar ali, que até podes ficar grávida (lembram-se ?)…. Estás exausta ! Quando páras já não sentes as pernas, arranjas-te rapidíssimo e puxas o autoclismo a fazer malabarismos com um pé, muito importante !

Depois lá vais pró lavatório. Está tudo cheio de agua (ou xixi ? lembras-te do lenço de papel…), então não podes soltar a mala nem durante um segundo, pendura-la no teu ombro; não sabes como é que funciona a torneira com os sensores automáticos, então tocas até te sair um jactozito de água fresca, e consegues sabão, lavas-te numa posição do corcunda de Notre Dame para a mala não resvalar e ficar debaixo da água.
Nem sequer usas o secador, é uma porcaria inútil, pelo que no fim secas as mãos nas tuas calças – porque não vais gastar um lenço de papel para isso – e sais…
Nesse momento vês o teu namorado, ou marido, que entrou e saiu da casa de banho dos homens e ainda teve tempo para ler um livro de Jorge Luís Borges enquanto te esperava.
“Mas por que é que demoraste tanto ?” - pergunta-te o idiota.
“Havia uma fila enorme” - limitas-te a dizer.

E é esta a razão pela qual as mulheres vão em grupo à casa de banho, por solidariedade: uma segura-te na mala e no casaco, a outra na porta e a outra passa-te o lenço de papel debaixo da porta, e assim é muito mais fácil e rápido, pois só tens de te concentrar em manter “a posição” e "a dignidade".
Obrigada a todas por me terem acompanhado alguma vez à casa de banho e servir de cabide ou de agarra portas ! Para os desgraçados dos homens que sempre perguntam “Querida, por que motivo demoraste tanto tempo na casa de banho ?” …. IDIOTAS !
(Autora desconhecida)

As lindas coisas que a AT faz

Isto é tipico desta ralé a que chamam chefes de claque.
Fernando Madureira, chefe da claque do FCP também se desloca de Porche Panamera e a polícia tem-no referenciado como servente de pedreiro.
A esses a AT não vai fiscalizar os rendimentos nem ficalizar de onde vem as centenas de milhares de euros com que fazem vida de luxo. Tem medo deles ou eles estão protegidos por advogados que são advogados do próprio clube e já foram presidentes da OA.
Agora um psicólogo que começou ...a sua atividade a recibos verdes há 12 anos e se esqueceu de declarar alguns recibos, a esse vieram agora sacar-lhe 1600 euros à conta bancária sem darem cavaco a ninguém.
Quando a Segurança Social foi interrrogada sobre a legalidade da situação, responderam que é normal a AT reabrir os processos de três em três anos para não deixar que os processos prescrevam.
Mas isto fazem-no aos pequenos contribuintes.
Aos que movimentam e se esquecem de declarar milhões, esses passam impunes.

Ver Mais
 
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Carta aberta ao amantes da tourada

CARTA ABERTA AOS AMANTES DA TORTURA DE ANIMAIS,.
Estes são alguns dos ferros que entram à força na pele e na carne de um boi quando este é barbaramente é torturado para gáudio e prazer de uns pacóvios provincianos armados em finos.
Tem dez mais de dez cêntímetros de comprimento e abre um rasgo de cinco centímetros na pele e na carne de um animal inofensivo que vai para a praça obrigado por ti que és um cagarola de merda, que até tens medo e choras baba e ranho quando te es...petam uma simples agulha de dois milimitros de expessura para te darem a vacina da gripe.
És um cagueineiroso nojento que bates palmas e gritas olés e brabos quando vês um animal a sofrer e a a perder litros de sangue, mas mijas nas calças e vem-te as lágrimas aos olhos, quando a enfermeira te espeta uma agulha cem vezes mais fina no cú ou no braço para te tirar umas gotas de sangue para análises.
Vai à merda meu maricas armado em homem de barba dura, por gostares de torturar e ver animais a serem torturados.
Afinal não passas de um cagarola frustrado, raivoso e mijado para quem a picada de uma abelha ou um moscardo é uma tortura que normalmnte leva-te logo a caminho do médico.
Se és um homenzinho de verdade e se queres mostrar que és valente e não tens medo, enfrenta um touro que não tenha pregos cravados nos cascos, que não esteja drogado, cansado, e sem cornos cortados nem bolas nas pontas, mas a pé, cara a cara, e de peito feito. Sem capas para enganar o animal e sem cavalo para fugir a sete pés depois de fazeres a merda que fazes.
Em suma:
És um cagarolazito de merda armado em valentão porque tens as costas quentes e sabes de antemão que estás a enfrentar um animal que não tem defesa possível.
És um merdoso.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e ar livre
 
Comentários
 

Carta ao meu amigo Salvador

 
 
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e ar livre
 
 
Antonio Salvador
 
Antonio Salvador Eras da tropa pacaça pá ...eu era da elite ...comandos 24 companhia curso tirado em Angola ...á sério com 56 operações de alto risco mas com muita disciplina
Fui voluntário para me despachar mais rápido ....afinal acabei por sair mais tarde fui enganado com sempre
Se soubesse o que sei hoje não me apanhavam lá não ...defender o que era dos senhores da terra ....
 
Adelino Aj Carvalho
 
Adelino Aj Carvalho Ganhaste muito com isso!...Sorte a minha, ser tropa pacaça ou arre macho como também era apelidada.
Vinte e seis meses na Manutenção Militar sem sair da cidde de Maputo, cujo único trabalho de grande responsabilidade era comer, dormir, ir à praia, ver as míúdas passar, mamar catembes e laurentinas, mandar rações de combate para vocês e andar por lá a ver passar a banda enquanto vocês lá no norte davam o corpo ao manifesto para salvaguardar a pele dos Jardins, Mellos e outros vampiros que sugavam o sangue fresco da manada.
Ao fim e ao cabo de uma maneira ou outra, todos fomos vitimas de uma politica de merda, levada a cabo por politicos de merda.
Fizemos o que nos obrigaram a fazer uns com mais risco, outros com menos risco.
Já passou, pá.
Que se F.
Agora há que aproveitar o tempo que resta, aproveitar a reforma e levar a vida que temos pela frente com calma, descontração e fazermos mais ou menos o que nos apetece.
É preciso é saúde.
Abraço.
Carvalho.
 

Emigrantes

Isto faz-me lembrar coisas.
Faz-me lembrar por exemplo os engajadores portugueses a transportar para França candidatos a emigrantes portugueses na década de sessenta e setenta do sec. XX.
Ainda andei com um que tinha uma Peugeot 504
de sete lugares e transportava dez, doze ou catorze pessoas da região da Beira Alta todas as semanas.
Chegados a França armazenava-os nos barracãos de uma quinta onde ficavam escondidos no sótão durante o tempo necessário até lhes arranjar trabalho na agricultura, nas florestas ou na construção civil e às mulheres nas limpezas. Dormiam em camas dos hospitais compradas usadas na sucata e o o comer era a mulher que fazia um panelão de batatatas ou arroz com carne ou frango tipo jardineira para dez, quinze ou mais pessoas.
Ganhava dinheiro como lixo.
Mas comia à mesa com o Comissário da Polícia local.

 
 

Partiste

Querida irmã, vou tantas vezes a Couchel e tenho sempre uma fezada que vais aparecer a qualquer momento para desenferrujar-mos a língua com um pouco de cavaqueira ou recordar velhas conversas.
Quando passo á tua porta, olho sempre para lá mas não te vejo, sei que já não vens à porta e sinto um vazio enorme dentro de mim.

 
A imagem pode conter: 1 pessoa, closeup e interiores
António Carvalho Gouveia

..um ano passou e continuo em negação.
Penso para mim que tudo não passa de um sonho, dos muitos sem sentido que costumo ter. Mas mais longo, ainda mais sem sen...tido.

A saudade alimenta a esperança de ouvir a tua voz num telefonema.
A ansiedade cresce sempre que penso em "ir aí acima" e poder ver-te.
Só que nada disto é um sonho.
"Acordo", refugio-me na dormência das lembranças, como se de ópio ou outro similar se tratasse e sigo, um dia de cada vez.

365 dias depois, passou-se um Natal, um Dia da Mãe e um aniversário teu.
Não estiveste, mas eu entendo.
Há uma forte razão para isso:
Chama-se vida.
Com tudo o que ela alberga.

Foste tu que me geraste.
Foste tu que te sacrificaste para que eu tivesse direito a enfrentar o mundo.
Foste tu, que mesmo no fim, mostrou o que é ser-se valente.

Foste sem dúvida a mulher mais corajosa que alguma vez conheci.

Um ano passou. E volto a repetir:
Foi um privilégio ser a tua cria mais nova.
Um enorme beijo e o calor de um abraço do tamanho da minha saudade..

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Favoritos

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D